sexta-feira, 29 de março de 2013

Gabriela e a adolescência



Tive uma conversa outro dia com um cara sábio. Sábio pela vida.

E depois desse encontro, pensei muito em escrever um e-mail para minha filha que tem 3 anos.

Para que todos entendam, eu criei um e-mail para a Gabriela um dia depois que ela nasceu. Uma conta do Gmail (tomara que o Google não quebre nos próximos anos pra minha filha não perder o serviço).
A ideia era mandar fotos e mensagens que ela pudesse abrir e ler quando ela tivesse entendimento das coisas. Compartilhar sentimentos com a sua chegada e passagens da família.

Mas esse texto que comecei a escrever para ela começou a ganhar corpo e pensando no coletivo, resolvi transcrever aqui no blog.

Eu ainda não encaminhei para ela o texto. Acho que terei de melhorar algumas palavras, pois tenho certeza que ela irá ler ainda muito nova, mas para o blog acho que cabe.





Bom dia linda filha,

Falar do meu amor por vc é chover no molhado. Acredito ser algo que não preciso repetir, mesmo eu tendo um prazer enorme em falar.

Tive o desejo de te escrever hoje esse e-mail por ter conhecido um engenheiro que presta serviços aqui pra  empresa que trabalho atualmente. (já que não sei daqui a quantos anos estará lendo este e-mail)

O nome dele é Renato e ele faz vistoria cautelar nos imóveis lindeiros à obra aqui em Contagem/MG.

Hoje ele esteve aqui no escritório para entregar mais duas vistorias que ele tinha feito e começamos a conversar sobre filhos.

Ele tem uma filha de 18 anos e um filho de 14 anos. Na hora fiquei espantado pq ele aparenta ser um cara bem jovem. Perguntei a idade dele e pra minha surpresa, tem a mesma que a minha, 38 anos.

E ele começou a falar das dificuldades de se educar uma filha e ver ela com namoradinhos, que ele sabia exatamente o que esses caras queriam com sua filha.

Essa conversa foi longe. Já começando a falar que a fase da adolescência foi a mais difícil. Falou bem assim "Achei que tinha perdido a barrigada" hahahaha Ou seja, a cria não tinha sido boa.

Bom, estávamos em 4 homens na sala. Eu, com uma filha de 3 anos, o Renílson com uma filha de 9 anos e outra de 2 anos, o Danielson sem filhos e este Renato. Todos nos identificamos com o assunto e começamos a completar os pensamentos que o Renato apresentava.
Vou tentar organizar estes pensamentos em tópicos, e espero sinceramente que considere e pondere cada um deles.
Lembre-se, tudo temos que vivenciar, mas ter o conhecimento antecipadamente, pode nos poupar de muitos dissabores. ;)

1.    Namorado na adolescência - ele também está experimentando e tendo que lidar com a puberdade. Ele pode até gostar de você, mas ele quer mesmo é sexo.

2.    Não pense que ele quer comer apenas você porque te ama. Se ele tiver chance, ele vai comer todas suas amiguinhas da sala. E das outras salas. Não porque ele é mau carater, mas porque nessa fase É assim que funciona. E talvez em outras fases mais adiante.

2.1. Amor adolescente - já escutei muito isso quando adolescente e já vi muita gente falando a respeito. Mais velhos dizendo "você é muito jovem para dizer que ama alguém ou para entender o amor". E nós jovens pensamos "sei mais que você imagina, eu sei sim o que é o amor" e simplesmente sofremos como se fosse o fim da vida.

2.2. Por isso filmes como Crepúsculo fazem sucesso. Hoje li na net falando do filme A Hospedeira como "mais um filme adolescente". É aquele tipo de cara com o cabelo infalível, que luta contra todos pelo amor de sua donzela. E ele só quer amar e acariciar ela. E quando "fazem amor" (como se amor fosse algo a ser fabricado), é um momento homérico, transcedental com o mundo convergindo para vocês. Onde seu amado, o herói da trama, forte impávido colosso, se rende à doçura de seus braços.... Ah, faz favor.. sério? Sim, sério. É assim que as meninas vêem as coisas, mas depois topam transar dentro do carro só baixando a calça.

2.3. Falando em filmes, aconselho o filme Garotas Sem Rumo (baixar). Uma realidade crua e não uma fantasia adolescente do que péssimas escolhas podem trazer.

2.4. A verdade é que por mais que pensemos ser o único amor da nossa vida, provavelmente não é. Temos tão pouco tempo de consciência (quase) adulta. Começamos a achar que sabemos das coisas por volta dos 14 ~ 15 anos e aos 20 somos adultos plenos. Como 4 ou 5 anos de experiência podem suplantar o que você aprenderá nos próximos 5 anos? E nos próximos 10 anos? E olha que você estará apenas com 30 anos! Há pessoas nem tiveram filhos nessa idade ainda. O que dirá dos próximos 80 anos? Acha mesmo que você não terá a capacidade de aprender mais nada? Agora, se tem a consciência de que não sabe tudo e acha que vai aprender mais alguma coisa depois dos 20, depois dos 30 e assim por diante, talvez devesse considerar escutar alguém que já passou por isso.

2.5. Outra coisa importante. "Passar por isso". Nunca achamos que alguém tenha passado pelo que a gente passou entre os 15 e 20 anos. Que tenha sofrido igual, amado, se aventurado. Eu escutava e só ficava pensando. "Duvido que ele tenha feito o mesmo que eu. No tempo dele era totalmente diferente". Aqui vai uma revelação. O mundo muda completamente a cada década. Mas a experiência humana aprendida na juventude não evolui uma vírgula. Com o passar dos anos, cada vez mais a juventude aprende mais e é mais estimulada com informações. Mas as experiências básicas não mudam. A vivência não muda. Os meninos querem transar. As meninas querem ser princesas. E todos sofrem por amor. Têm que aprender a ter educação e respeito ao próximo. As religiões batem nessa tecla por milênios e nunca mudaram o discurso. Porque o ser humano tem sempre que começar seu aprendizado do zero. Tem que saber que transar sem camisinha pode engravidar ou pegar doença, que criar um filho é difícil, que dirigir bêbado se acidenta, que se pular de cabeça de um prédio morre.

3.    Não pense que se você transar, ele não vai contar para os amigos. Vai sim. E mais, muito provavelmente esses amigos dele serão os mesmos amigos seus. Por que? Porque ele precisa da platéia, assim como uma menina precisa mostrar pras amigas um vestido ou um sapato novo. Bem assim, um troféu. E é isso que vai fazer ele ser um cara bacana entre os amigos. Significa status.

4.    Vários homens - você pode até sair com vários caras nessa idade abaixo dos vinte e poucos anos, mais precisamente até você sair da faculdade, mas mesmo não transando com todos que "ficar", você será mal falada por todos à sua volta. Amigos e amigas. A famosa "fama de galinha". E vai por mim, dessa turma, mesmo se o cara gostar de você, muito dificilmente ele terá coragem de pegar na sua mão e te assumir como namorada "oficial". Porque os amigos dele vão rir da cara dele e dizer "vai ficar com essa que já passou na mão de todo mundo?". Acha que o cara com essa idade vai ter cabeça pra lidar com isso? Não vai.

5.    Nós homens dividimos as mulheres em dois grupos: as pra casar e as outras. O mais engraçado, é que nunca vi uma mulher perguntar pra um homem "se uma mulher não é pra casar, ela é pra que?" Se o cara for sincero e não tiver nada a perder com ela, vai dizer: "Pra transar".

6.    Gravidez - nisso o Renato teve uma atitude com a filha dele que eu entendo pelo histórico de pai novo dele, mas cabem considerações. Ele disse que sempre conversou abertamente com ela sobre tudo isso mas que quando ela fez seu primeiro exame ginecológico, já pediu que o médico indicasse anticoncepcional para ela. Claro, a preocupação é que ela não perca a vida dela com um filho sendo tão nova. Ele teve filhos muito novo, então o cara sabe o que fala. Não que seja ruim ter filhos. Na verdade, é a maior bênção que Deus pode proporcional a um casal. Mas TUDO A SEU TEMPO. Existe o tempo de brincar, de fazer amigos, de curtir a vida, amadurecer, encontrar alguém para estar ao seu lado e então, no momento em que o casal decidir e tiver maturidade o suficiente para criar uma vida, educar e dar sustento... aí sim, ter um filho.

6.1. Ponderações - engraçado ele ter tocado apenas no tópico gravidez. Acho complicado falar de sexo na adolescencia, onde a molecada quer pegar o maior número de meninas possível e só pensar na gravidez. Tem doenças e tenha certeza, isso é sério. Não acontece só com um "conhecido" de um amigo seu. Um dia você pode acabar sendo esse "conhecido". Proteja-se, valorize-se. Não faça o que querem que você faça. Faça o que VOCÊ achar certo. Pode parecer "antisocial" a princípio, mas será mais respeitada do que aqueles que não tem vontade própria. E esse respeito virá em muito pouco tempo. E acredite, vai valer muito a pena no futuro.

7.    VALORIZE-SE!! - Tenha dó do que você tem entre as pernas. Entenda como seu bem mais precioso. Não banalize. Isso vai te tornar desejada e não o contrário. Desejada como alguém para se ter do lado e não apenas um porta esperma. Se não entender o porquê disso agora, confie e espere. Num futuro próximo você vai acabar entendendo e vendo que tomou a decisão correta.

8.    Nunca seja a segunda esperando ser a primeira. Se gosta do cara e estiver disposta a se sujeitar ser a segunda, tudo bem. Aceite que nunca será mais que isso. O homem dá valor à mulher de postura que se mantém distante até que ele esteja "liberado". Essa é a considerada para casar. A segunda, você já sabe pra que serve.

9.    Segunda opção da balada - O cara só fica com você quando te encontra na festinha? Voce só serve pra ele não perder a noite. Se ele quiser algo mais sério com você, ele vai combinar antes, vai te buscar, vai chegar e ir embora com você.

10. Acho engraçado quando vejo mulheres discutindo sobre se o cara liga ou nao no dia posteiror. O cara nao te liga? Fica tranquila, ele vai te ligar na proxima noite que ele sair e nao conseguir pegar ninguem. Vai te ligar e dizer coisas legais pra transar com voce. Ele nao te liga quando voce gostaria mas quando te liga, te convida pra sair num encontro num restaurante, cinema e não pra uma balada? Ele sim te ve como uma menina pra casar. Te chamar de novo pra uma balada, já sabe o que ele quer no final.

11. Chame a atenção pelo bom caráter. Seja popular pela simpatia. Não pelo que tem ou pelo que pode comprar. Não pelo maior número de caras que já pegou.


Às meninas, não fiquem bravas conosco. Acredito que essa área sentimental seja a única em que vocês se mostram mais vulneráveis. Vocês terão todo o resto da vida pra manipular e conduzir os musculosos e indefesos homens de acordo com suas vontades. Isso tudo que escrevi na verdade vai torná-las mais forte e te ensinarão a lutar com as armas que têm.

Aos meninos, não fiquem bravos. O mundo é assim desde sempre e não será o texto de um blog pequeno que vai mudar isso. Sempre existirá uma menina com mais fogo na roupa do que bom senso.
No final, cabe a cada um decidir o que é melhor para si e tomar as decisões conscientes do que isto implicará. Ser responsável por essa decisão, assumir o risco e aguentar o tranco caso algo dê errado. Isto é crescer.


Links externos:

13 comentários:

  1. Ao pai da Gabriela:
    Caro Sergio,
    Bem interessante sua abordagem ao tema “filhos na adolescência” após relatada conversa em roda de amigos. Muito me chamou a atenção o modo como vocês homens enxergam as coisas e como se preocupam em mostrar o real funcionamento das mentes masculinas ou do próprio mundo para suas proles na tentativa de furtar-lhes um futuro de aprendizado doloroso.
    Todavia creio que para que se adquira sabedoria em relação a algo se faz necessário, além da experiência, o conhecimento do maior número possível de pontos de vista, para que aí então a pessoa tenha base e fundamentos para formar sua própria opinião.
    Desta feita, senti-me tentada a escrever hoje para a Gabi (espero que possa chamá-la assim em virtude do tom informal da conversa), na tentativa de contribuir para a vivência da mesma, mostrando-lhe um outro viés de pensamento sobre a temática da prosa.
    Assim...

    ResponderExcluir
  2. À Gabi:
    Olá minha bonequinha,
    Tudo bem? Espero que sim... Tão bebê ainda e já tão em alta nas redes sociais não é? Hehehehe... Muito prazer meu amor! Quem vos fala é uma titia bem maluca que vive por aí nesse mundão de meu Deus e que escreve hoje para dividir com você um pouco da vida e das experiências próprias e de outrem, na tentativa de prepará-la, ao menos um pouquinho, para aquilo/aqueles que te esperam lá fora, para além desse maravilhoso paraíso pigmentado pelo lindo cor-de-rosa da inocência que é o mundo das crianças.

    Então vamos lá... Primeiramente é preciso admitir que durante muito tempo fui adepta do uso de generalidades, principalmente porque sempre tive um modo bem feminista de ver a vida, então mandava muito daquelas: “homem é tudo igual, só muda o endereço”; “homem é que nem tapete, eu só piso em cima”; “as mulheres comandam o mundo”, e mais barbáries do tipo. Logicamente que eu pronunciava tais asneiras mais em tom de reprodução, haja vista que foi o que eu sempre ouvi por aí.

    Contudo, conforme fui crescendo e conhecendo um pouco mais da dinâmica da vida, percebi que estes paradigmas não retratam a realidade em si, mas tão somente tratam-se de um modo preconceituoso com o qual a sociedade em massa lida com certos grupos que possuem alguns caracteres em comum.

    Sendo mais clara, não é porque um ser humano nasce com um pênis no meio das pernas que ele obrigatoriamente não presta ou deve ser pisado, ou se nasce com uma vagina que será a dona do mundo. Na verdade, temos sim que o fato de a pessoa ser do sexo masculino/feminino lhe trará atributos peculiares daquele gênero, o que não significa que isto seja uma regra, principalmente no que tange ao seu modo comportamental e afins de caráter.

    Assim, temos que estes dois estão muito mais relacionados ao modo de criação do ser humano em questão e de sua personalidade do que com o fato de ser ele do gênero masculino ou feminino.

    Por esta razão é que quando seu papai escreve os tópicos 1 e 2 e diz que os garotos só querem sexo e se puderem vão comer todas as suas coleguinhas enquanto você só espera dele o “amor” eu discordo plenamente, pois como já mencionei anteriormente, isso varia de indivíduo para indivíduo.

    Por óbvio que aqui cabe aquilo que já expressei acima que os grupos, tais quais os adolescentes, tem certas características comuns que os identifica. Por isso de fato quando se está nesta fase tão esperada da vida, é natural surgirem os desejos sexuais, mesmo porque você está descobrindo a si própria e aos outros, e ainda é completamente bombardeada de estímulos sexuais. Aqui você deixa sua Barbie de lado e passa a vislumbrar outras possibilidades de diversão e satisfação.

    Mas quem foi que disse que só os garotos querem experimentar esse algo novo? Quem foi que disse que só eles estão com os hormônios a flor da pele? Quem foi que disse que só eles querem “usar” alguém? Ora pois, fiquem os meninos sabendo que nós passamos pela mesmíssima transição hormonal, sendo que somos aqui abastadas de uma vantagem física/psíquica, qual seja o fato de amadurecermos antes dos garotos. Daí pode ser que disfarcemos (se for da nossa vontade também) melhor do que vocês, o que não quer dizer que o meio de nossas pernas não esteja fervilhando.

    ResponderExcluir
  3. No decorrer da conversa papai fala do “amor” de adolescência, pelo qual sofremos feito loucas, nos descabelando, chorando e sofrendo como se fossemos morrer por ele. Ora ora... Primeiro que de fato a maioria de nós se apaixona sim nessa fase e ama como se o cara fosse o último deus grego da face da Terra. E quer saber? Isso é bom demais.

    Sim sim, muito bom. E vou além, é verdadeiro. Bá, que os caras que lerem isso vão ficar pasmos, ou me considerarem uma completa insana, mas é isso mesmo Gabi, a gente ama de verdade, se apaixona de verdade, sofre de verdade e também esquece de verdade, e isso é muito legal, um processo de profundo aprendizado.

    Você deve estar dizendo a si própria agora que se você “amou” e esse amor acabou é porque não era verdadeiro, pois muito se fala que só se ama uma vez na vida. Pois eu te digo minha gatinha, isso é mentira.

    Pense com a titia: Você ama seu papai? Ama sua mamãe? Seus avós? Seus professores? Seus coleguinhas? E esse amor que você sente por todos eles é verdadeiro? E se eu te disser que não... Se eu disser que você tem que escolher apenas um deles para amar e o resto pra gostar, porque senão não seria verdadeiro o seu amor? Você seria capaz de escolher?

    Pois eu já lhe respondo de antemão: Não. Você não seria capaz de escolher meu anjinho, pois você de fato ama todos eles, porque nós seres humanos temos o divino dom de sempre aconchegar mais alguém no nosso coraçãozinho, sem que para isso você tenha que tirar o espaço de alguém que já está lá dentro, porque o nosso amor não tem fim.

    ResponderExcluir
  4. Assim, quando você se encontrar lá com seus 14/15 aninhos completamente caidinha por aquele gatinho que senta do teu ladinho na classe, ao ponto de ficar nervosa quando o vê, coração disparar, mãos gelarem, pernas bambearem, e cabecinha não raciocinar direito saiba que é sim paixão, amor e de verdade, pois dentre tantos que você encontrará aquele será o único do momento a mexer de fato com você.

    E agora, deve estar me questionando, e se isso passar? Se passar é porque você encontrou alguém que fez com que seu coraçãozinho batesse ainda mais forte ou então porque o amor que você sentia por aquele menininho não foi o suficiente para bancar as decepções que ele lhe causou.

    É minha pequena, isso a vida também vai te ensinar. Quando nos apaixonamos, normalmente esse alguém objeto de nosso desejo é primeiramente uma idealização. De fato, somos nós meninas um tanto sonhadoras – o que é bom, desde que mantenhamos os pezinhos no chão -, de forma tal que quando nos apaixonamos por um mocinho, temos ele como “o cara”. E de fato ele pode ser. Mas isso não quer dizer que ele seja perfeito, sabe porque? Porque você também não é... Eu também não sou... Nem o papai, nem a mamãe e nem ninguém neste mundo senão Deus.

    Deste modo, conforme vocês forem convivendo você descobrirá que ele não é o príncipe do cavalo branco que lutará contra o mundo para salvá-la, tal qual você não é a princesa boazinha que ficará linda e intocável à espera dele.

    ResponderExcluir
  5. Você descobrirá que ele faz xixi fora da bacia, deixa a toalha molhada em cima da cama, arrota, solta pum, te dá uma resposta atravessada quando acorda com o pé esquerdo, te conta algumas “mentirinhas”, esquece a data do seu aniversário, enfim.

    E ele descobrirá que você dorme com máscara de um creme bem ‘melequento’, que também arrota, solta pum, faz manha quando quer algo, cutuca e irrita ele quando tá afim de causar uma briguinha, enfim. Mas ainda sim ele pode ser o seu príncipe e você a princesa dele. Basta que o amor supere esses dissabores da convivência diária, e que a parte boa seja maior que a ruim. Se ele estiver ao seu lado no leito de hospital quando você adoecer, se fizer aquela brincadeira boba que te faz rir quando tudo o que você quer é desabar em lágrimas, se te manda aquela mensagem inesperada com palavras singelas que te faz ganhar o dia, se mesmo sem dizer demonstra o quanto gosta de você, se vibra quando descobre que será papai de um filho teu, e vice versa, com certeza vale a pena investir nesse amor.

    Mas cuidado, pois alguns homens, além desses “defeitinhos” comuns, podem te trair, te bater, te humilhar, maltratar, detonar sua autoestima e acabar com você. E na minha humilde opinião, eles são na verdade monstros, os quais nem se quiser dá pra fazer virar príncipe. Destes minha menina, você deve correr antes que seja tarde demais e você perca a melhor parte ou até toda a sua vida, pois estes tipos lhe deixarão marcas imensuráveis e até incuráveis.

    ResponderExcluir
  6. Ainda, papai fala no ponto 2 sobre amadurecimento, sendo que aborda a questão do adolescente sempre se achar pronto pra tudo e conhecedor o suficiente do mundo. Neste ponto, concordo com ele. Nós nunca estaremos prontos e maduros o suficiente para encarar as adversidades da vida. Isso é uma certeza. A cada dia aprendemos algo novo, pois a fonte da sabedoria é inesgotável. Nem o homem mais velho do mundo sabe tudo, com certeza algo lhe surpreenderá. Mas, os anos são grandes aliados do nosso saber, pois quanto mais vivemos, mais novidades experimentamos e mais conclusões tiramos.

    Neste ponto mesmo, ele aborda a questão dos mais velhos já terem passado pela fase que você está passando, pois as situações são as mesmas desde que o mundo é mundo. De fato, apesar da constante evolução do mundo algumas coisas são basilares, por isso, não que eles poderão decidir por você, mas com certeza seu papai e sua mamãe serão os melhores conselheiros do universo, pois eles só querem a tua felicidade. Por esta razão, tenha nos dois os seus melhores amigos. Aproveite que papai demonstrou ter uma cabeça aberta e faça dele seu confidente. Claro que você deve fazer valer a sua opinião, mas dê a eles a chance de estar ao seu lado e partilhar de suas decisões. Com certeza isso só lhe trará benefícios.

    Pulemos para o tópico 3. Se vocês transarem ele contará aos amigos. Ah, provavelmente sim. E quem disse que nós também não o fazemos? E fazemos mais... Contamos em detalhes e ainda comparamos... Pois é Gabi, da mesma forma como os meninos, em sua grande parte, trocam experiências sexuais afim de contar vantagem, nós também o fazemos, porém com o intuito de aprendizado e para dividir com as amigas aquilo que estamos sentindo.

    Não pensem os garotos que eles saem ilesos das nossas conversas. Muito ao contrário, discutimos se o cara tem o membro grande ou pequeno, grosso ou fino – e que fique bem claro aqui que tamanho/espessura é documento sim -, se ele tem pegada ou não, se a penetração é boa, se sabe fazer oral, se sabe fazer anal, se consegue te fazer gozar, se tem uma boa ereção, se é limpinho, se o sexo foi inesquecível/muito bom/bom/regular/meia sola/ruim/péssimo/adeus, e uma infinidade de coisas mais que você vai saber quando tiver uma experiência sexual.

    ResponderExcluir
  7. E em falando em experiência sexual, minha querida, as coisas nem sempre são como imaginamos. A prática é bem diferente daquilo que se passa na nossa cabecinha. Ir pra cama com alguém não é tão fácil quanto parece. Pelo menos não pra nós meninas. Não é um simples ir ali e abrir as pernas que está tudo certo. É preciso muito mais do que isso. Porque na realidade, para a mulher, muito além do físico está o psicológico, e este pode ferrar com tudo na hora H.

    Por isso, aqui vai um conselho de ouro dessa titia maluquete: não vá para a cama com qualquer um – principalmente se for a sua 1ª vez -, mas só com aquele cara que você amar e se apaixonar, porque se o sexo não for tão maravilhoso assim, ao menos o sentimento compensa. E se for ótimo, você se sentirá a mais completa das completas.

    Chegando ao tópico 4 papai menciona a “mulher galinha”, aquela que ganha a fama por “pegar” vários carinhas. Ora ora... Esse paradigma realmente existe na sociedade, mas eu o considero o cúmulo do absurdo. Acho ridículo o fato do homem ser o garanhão/gostosão e a mulher a galinha/biscate – perdão o termo chulo.

    Gente, hellooooo... em que era vivemos? Direitos iguais já!!! Na minha singela opinião, não sou a favor da mulherada pegar geral, porque sou das que acredita no sentimento, mas também sou contra os homens passarem o rodo. Mas, se eles “têm” esse direito, nós temos também, e isso não nos diminui em nada. Particularmente, nos meus tempos de adolescente sempre fui a “santa”, tanto que só fui dar meu primeiro beijo aos 18 anos, mas hoje, sinceramente, me arrependo disso.

    Eu via as gurias no maior amasso com os piás, sentia vontade, mas não sei porque cargas d’água não cedia às investidas deles. Eu era a “nerd” certinha, filhinha da mamãe, admirada pelos professores e diretores e rechaçada pelos coleguinhas. E o que eu ganhei com isso?? Nada. Hoje as meninas que estudavam comigo e formavam o grupo, por elas próprias denominado de ABP (As Barangas Pegadoras), estão por aí namorando sério, uma ou outra já se casou e tem as aventuras da época de colégio para se lembrar.

    ResponderExcluir
  8. Daí, vem o tópico seguinte que faz uma divisão extraordinária das mulheres: as para casar X as para transar. Kkkkkkkkkkkkkkk é pra rir não é Gabi?? As esposas não transam? Kkkkkkkkkkkkkkkk Ai ai ai, eu ainda vivo para ver uma coisa dessas... Esse é o ápice da ignorância. Francamente minha lindinha, espero que você não seja mais um Gabriela por aí, mas que seja A Gabriela que vai me ajudar a mudar esses pensamentos tão arcaicos e infames que existem nessa sociedade hipócrita.

    Quais seriam as mulheres para casar? E quais seriam as mulheres para transar? Papai não se delongou muito sobre o assunto, mas creio eu que ele e os coleguinhas de trabalho, assim como outros homens, pensem que mulher para casar é a famosa Amélia. Ah sim, uma Amélia versão século XXI, aquela mulher “de família”, que cria uma enormidade de obstáculos para o homem chegar até ela – porque homem gosta mesmo é de mulher difícil kkkkkkk -, que estuda/trabalha, que é fiel, boa namorada, boa companheira, tem um coração, um cérebro e até um corpo, que cuida do companheiro com afinco, etc e tal. Já a para transar, só tem um buraco no meio das pernas, outro no meio da bunda, dois melões na altura do tórax, uma boca receptiva, e dá livre acesso aos homens para desfrutar disso tudo. Pára por aí. Cérebro? Não tem. Coração? Não tem. Família? Não tem. Francamente, acho que você entendeu não é minha bonequinha?

    Pulemos para o tópico da sequência. Gravidez e DST (Doença Sexualmente Transmissível). Um ponto muito sério e importante. Em qualquer fase da vida ter um filho é um passo muito grande. Mas engravidar na adolescência é muito pior. Sabe, este é o momento em que você começa a viver de fato, a conhecer gente nova, a fazer amigos, a amar, a se entregar, enfim, a se jogar do cara no mundo para fazer as próprias descobertas e um filho lhe tiraria tudo isso. Além do que, você muito provavelmente não estará preparada psicologicamente e nem financeiramente para criar um novo ser humano.

    Sabe Gabi, um filho, como teu papai mesmo disse, é uma benção. É o milagre da vida. Mas também traz consigo responsabilidades imensas. Não basta dar a luz e o bebê se cria sozinho. Criança precisa de amor, carinho, atenção, respeito, limites, roupinhas, sapatinhos, plano de saúde, fraldas, mamadeira, carrinho, dinheiro para os estudos e o lazer, limites, educação, exemplos e muito mais. Então, não é só uma Barbie tua que você penteia, dá comidinha, veste a roupinha e está tudo certo. Vai muito além, pois é uma outra vida que depende de você.

    Ademais, tem o outro lado da moeda. E o pai? Ele aceitou numa boa a gravidez e vai assumir o filho junto com você? Sabe princesa, eu estava com uns amigos outro dia em um barzinho e estávamos falando desses percalços da vida. Tem uma colega minha que está com 22 anos e engravidou “por acidente” do namorado. Eles já estão juntos a certo tempo e pretendiam casar em setembro desse ano, mas o filho antecipou tudo. Ele assumiu a criança e está até contente, já ela estava com uma cara de velório que você precisava ver.

    ResponderExcluir
  9. Elementar que ela já ama o bebê e tudo mais, mas bateu a consciência de tudo que ela vai enfrentar por aí, de tudo que ela perderá de viver por conta disso. E digo mais minha gatinha, pra mulher é ainda mais difícil do que para o homem, pois afinal é no nosso ventre que o filho é gerado, somos nós que passamos mal, que sentimos a dor do parto, que ficamos com o corpo detonado...

    Daí nesse mesmo dia, tinha outro casal de amigos, já casados e sem filhos, e a mulher disse que quando eles tinha um ano de namoro mais ou menos – uns 20 anos de idade – ela, sempre regular, contou a ele que sua menstruação havia atrasado, para qual de pronta surpresa recebeu a resposta: “se você estiver grávida vai tirar”.

    Nossa Gabi, você não imagina á mágoa que ela tem dele por causa disso, você não mensura a dor que é para uma mulher ouvir isso do cara que está ao lado dela e que nem é um qualquer, é o namorado de quem ela tanto gosta e com o qual planeja dividir a vida.

    Bem, já deu para sentir a barra de uma gravidez indesejada não é? Passemos então às DSTs. Tenho uma experiência bacana em relação a isso, pois devido minha profissão, há alguns anos lido com pessoas portadoras dessas doenças e de cara te digo: é muito triste. Quando a pessoa se descobre, por exemplo, soro positivo (portadora do vírus HIV) seu mundo desaba. Você vê a dor e a revolta nos olhos dela. Por mais avançados que estejam os tratamentos, o fato de saber que você tem aquela doença é um mártir sem fim.

    Por isso é de suma importância fazer o uso de métodos contraceptivos e consultar regularmente o seu ginecologista. Sabe minha menina, quando você tiver iniciado sua vida sexual vai ver que a prática é muito mais difícil que a teoria. Ainda que tomar a pílula, ou usar o adesivo, ou o anel é mais tranquilo, basta programar o despertador e criar o hábito, mas quando se trata da camisinha, é aí que o bicho pega.

    Quando você sai com o seu gatinho e está lá no rala e rola, dando uns bons amassos, o partir para a penetração é algo tão natural que você nem vê. E a vontade é tanta, que a gente nem lembra da camisinha, ou até mesmo sente vergonha de interromper o “pega” para pedir que ele a coloque. Mas depois vai te bater um arrependimento do tamanho de um bonde.

    E os homens, em sua maioria não fazem a menor questão de usá-la, dizendo que vão gozar fora. Erro crasso minha pequena. Não é preciso que ele goze dentro para você engravidar, basta o líquido que sai do pênis antes do gozo para fazê-lo. Além do que, só o anticoncepcional e afins não te protegem por inteiro de uma gravidez, pois esta minha amiga mencionada acima engravidou fazendo o uso deste. No mais, por mais limpinho e cheirosinho que pareça o seu parceiro, você nunca sabe em quais buraquinhos ele já adentrou, de modo que pode contaminá-la com alguma doença.

    ResponderExcluir
  10. Tópico 7. Neste o papai foi bem enfático no valorize-se. Adorei. É isso mesmo meu amor, pois se você não se der ao valor, ninguém o fará por você. Mas isso não significa que você deva fazê-lo conforme as convicções e valores alheios, mas sim de acordo com o que você entender ser o certo. Sabe Gabi, o mundo tem gente das mais variadas formas, com os mais variados pensamentos e entendimentos, e você jamais conseguirá agradar a todos. E então, para não cair nessa cilada de tentar contrabalancear a vida e contentar um aqui e outro acolá, faça a si própria feliz, agrade a si própria e haja conforme o seu modo de pensar. Valorize-se pelo que você acredita. E trate o que você tem no meio das pernas como um objeto do seu próprio prazer, não o superestime e nem subestime, são apenas um clitóris e um buraco que você saberá como, quando e com quem deve usar.

    Na sequência o papai trata da questão da amante. Ele afirma que quando uma mulher se sujeita a ocupar uma posição secundária na vida de um homem, jamais transitará para a primeira posição. Mais um caso de generalização. Conheço algumas amantes que viraram esposas, mas sinceramente, não valeu à pena.

    Vamos lá. Sou da seguinte opinião, quando a pessoa está infeliz em um relacionamento, seja por qual motivo for, que separe, porque viver de aparências minha princesa é degradante. Então, burra da mulher que não dá um basta nesta situação e vai reconstruir a vida. Daí teremos muitas desculpas aqui e acolá, mas as principais são: “não separo porque dependo financeiramente dele”, “não separo por causa dos filhos”, “não separo porque já estou velha, como vou reconstruir a vida agora?”.

    Ai meu amor, se você souber como tudo passa tão depressa. O tempo corre tão rápido que não nos damos conta e quando olhamos pra trás tanta coisa ficou e nós nem percebemos. A vida é muito curta Gabi, e a única certeza que temos é que um dia vamos morrer. Mas quando? Agora... Daqui um mês... Daqui 10 anos... Aos 150 anos...? Ninguém sabe meu anjinho, só Deus. E nesse tempo que Ele lhe concedeu aqui na Terra, o que você fez? O que você foi? Você foi feliz?

    É triste pensar nisso, até deprimente, mas é necessário minha pequena, porque você é a única capaz de tomar as rédeas do seu destino, de fazer e acontecer. Por isso é que eu te digo Gabi, não está feliz separa, antes só do que mal acompanhada. Filhos crescem e voam para viver a própria vida. E não é pelo fato de o pai e a mãe estar separados que a criança perderá qualquer deles, muito pelo contrário. Até por isso existe hoje a chamada “guarda compartilhada” que permite ao filho o convívio e a morada com ambos os pais, de modo a manter este vínculo.

    ResponderExcluir
  11. E este é, com certeza, uma maneira muito mais saudável de o filho crescer do que se estiver vivendo sob o mesmo teto com um pai e uma mãe que não podem nem se ver, ou pior, que quebram o pau na frente dele. Porque pode não parecer, mas a criança sente tudo o que se passa ao seu redor, por mais que não entenda ela sabe que as coisas não estão legal, e isso terá tanto ou mais reflexos em sua vida do que se estivesse vivendo com pais separados porém felizes.

    A segunda desculpa é o dinheiro. Mulheres que dependem do marido para tudo, ou então aqueles casais que têm muitos bens e não querem fazer a partilha? E olha que tem até mulher que se sujeita a viver apanhando do marido a ter que se separar e ficar “sem eira nem beira”. Rá. Ridículo isso. Meu Deus, quanto vale a sua liberdade? Quanto você vale? Quanto vale a sua vida? Quanto vale a sua felicidade? Um salário mínimo... Casa, comida e roupa lavada... O carro do ano... Milhões... Bilhões...? Não Gabi, não tem preço minha menina. Não deixe que dinheiro nenhum nesse mundo te compre ou te custe a felicidade.

    Por isso aqui vai um conselho de mãe: a maior herança que Deus nos dá além da vida é a saúde. E a maior herança que um pai deixa para seu filho além da formação do caráter são os estudos. Estude meu amor, muito. Seja inteligente, sábia, busque, pesquise, conheça, aprofunde e aprimore seus saberes, pois o dinheiro acaba, mas o conhecimento não, e tendo este você pode correr atrás e se reconstituir a qualquer momento. Não seja mais uma professora/advogada/enfermeira/designer... Seja a professora, a advogada, a enfermeira, a designer...

    Leia meu anjo. A leitura abre os nossos horizontes e nos tira a venda da ignorância. E se jogue com a cara e a coragem no trabalho, para construir o seu patrimônio e prover o próprio sustento, sem tem que depender de João nenhum nesse mundo. Seja dona de si Gabriela.

    É fácil? Não. Mas nada é fácil na vida. Já dizia um professor meu: “estudar dói, machuca, cansa, enche o saco, demanda tempo, paciência e força de vontade, mas é um mal necessário”. Hoje eu consigo enxergar o quão ele está certo.

    E a desculpa da idade, do ser tarde demais para recomeçar. Nunca é tarde meu amor. Nunca é tarde para cuidar de si. Nunca é tarde para acabar com o que te faz mal. Nunca é tarde para correr atrás dos sonhos. Nunca. Basta querer. Sempre há tempo para amar. Sempre há tempo para recomeçar. Sempre há tempo para viver. Mas lute, busque, porque você não sabe até quando a vida vai te esperar e quanto tempo você terá para desfrutar.

    Passemos então à traição. “Os homens traem mesmo, é natural da espécie”. Está aí uma frase que você provavelmente vai ouvir muito e que é mentira. Não é nada natural o homem trair. Eles tem hormônios? Nós também. Eles acham outras mulheres além da esposa gostosas, atraentes, chamativas? Nós também sentimos isso em relação a outros homens. Eles têm um instinto de traição? Nós também. Eles sentem dor no saco quando não transam? Nós também sentimos dor quando ficamos muito tempo sem sexo. Ele se apaixonou por outra mulher? Essas coisas acontecem, seja homem suficiente, chegue na sua parceira mande a real pra ela e termine tudo.

    Mas passemos à realidade dos fatos: ele trai a mulher com uma amante solteira, por exemplo. Típico triângulo amoroso, que eu definiria mais como doloroso. Tem alguns motivos pelos quais a mulher embarca nessa de ter um caso: dinheiro, sexo, amor ou tudo junto. Ao dinheiro cabe a mesma situação da esposa que não separa por depender do cara ou não querer dividir os bens. Sexo: o cara deve ser realmente “o cara” não é?, porque senão ela não embarcaria nessa furada. Amor: o pior de todos os motivos.

    ResponderExcluir
  12. Papai disse “O homem dá valor à mulher de postura que se mantém distante até que ele esteja "liberado"”. E se ele nunca se separar? Você será valorada por ele, mas perdeu a chance de ter o homem da sua vida. E que importância tamanha tem esse “valor” que ele lhe dará? Será a mesma do “valor” que ele dá à esposa desrespeitando-a desta forma?

    Na realidade Gabi, ser amante é horrível. É uma situação em que todos os envolvidos saem perdendo, principalmente a babaca que se prestou a este papel. Mas, infelizmente a gente não manda nos sentimentos e não escolhe quem amar, e o destino às vezes nos prega cada peça. E pode ser que dia de amanhã você se depare com uma situação dessas, e que conselho essa titia doida tem pra te dar? Siga o seu coração, faça aquilo que você achar que deve, mas tendo plena ciência das consequências que seus atos acarretarão.

    Se você optar por não viver esse amor enquanto o homem estiver casado, saiba que ele pode nunca se separar – e provavelmente o fará, porque é um infeliz covarde -, e você nunca experimentar o que é estar com quem se ama, e pior, viver sempre com a dúvida de como teria sido e com o arrependimento de não ter tentado.

    Se você optar por viver esse amor, saiba que estará, muito provavelmente, sendo “desvalorizada” por ele, bem como pela sociedade em geral, recebendo por tal títulos como “a vagabunda”, “a sem vergonha”, “a destruidora de lares” e assim por diante, e que, mesmo sendo você solteira e não devendo satisfações a ninguém, afetará de certa forma a esposa dele, e por mais que ela não seja um modelo de santidade isso vai doer na tua consciência, e doerá ainda mais se ele tiver em casa anjinhos que nada têm a ver com toda essa situação.

    Sobre isso lhe digo que da mesma forma como ele não te valoriza, por vezes você pode considerá-lo um calhorda, e se tiverem uma convivência mínima, é possível que você vá descobrindo mais e mais coisas a respeito dele que naturalmente farão com que o encanto vá se esvaindo e você perceba que não tem como transformá-lo no seu príncipe encantado, daí a paixão vai acabando e você é tomada de uma razão lógica que antes não tinha, de modo que findada a idealização, o amor, que antes supria tudo - as ausências, os “bolos”, a falta de interesse e esforço pra te ver, o esquecimento de datas importantes, o sexo talvez não tão incrível como você pensava -, não mais é suficiente, e você chega a se colocar no lugar da esposa e pensa: ele faria o mesmo comigo?

    E olha que quando as coisas chegam a esse ponto é porque está acabando para os dois, e ele fará questão de ter atitudes que com certeza vão te magoar demais. É claro, chega uma hora que ele se cansa de você e vai querer uma novidade. É esse o momento que você terá de ter uma boa estrutura psicológica e emocional pra aguentar as pontas. Lógico que tudo na vida tem fim, mas a gente nunca está preparado para o pior, porque a nossa tendência é sempre otimizar.

    ResponderExcluir
  13. Pois é minha bonequinha, pra você ver que nada que fazemos nessa vida não tem implicações. Tem sim e muitas. Algumas mais tristes, outras menos. Se nós pudéssemos evitar que os outros passassem por tudo o que passamos o mundo seria tão mais fácil. Mas não podemos, temos o livre arbítrio e cada um tem que decidir por si só.

    Por fim papai retorna ao tema das para casar X para transar. Deveras, quando os rapazes só te querem na balada, para uns beijinhos e afins, provavelmente não querem um compromisso. Já se te chamam para um cinema, ou para jantar e não tem vergonha de desfilar com você, é possível que queiram namorar. Mas e você, o que você quer? Lembre-se sempre: primeiro eu, segundo eu e terceiro eu.

    É isso Gabi, estive aqui apenas contraditando os tópicos do papai, mas na verdade haveria muito mais o que falar, tal como drogas, vestibular, amizades, festas, beleza, responsabilidades e tantas outras coisas que nos cercam, mas se o fizesse seria mais para livro do que para post hehehehehe.

    Mas em suma, o que quero que você depreenda de todas estas palavras é: cuide-se. Ame-se. Valorize-se. Estude. Seja uma mulher a fazer a diferença no mundo. Orgulhe-se de suas decisões, e que estas sejam tomadas com base nas suas crenças e não no que te disserem para fazer. Pratique esportes – faz bem para o corpo, para a saúde e para a mente -, cuide da pele, dos cabelos, das unhas, do ego, da alma, do coração, da cabeça. Lembre-se que cada ato traz consigo consequências. Ame e demonstre seu amor. Diga “eu te amo” sem medo de ser feliz, porque pode ser que amanhã você não tenha tempo para fazê-lo. Curta imensamente vida, porque ela é breve, mas o faça com responsabilidade para não sofrer mais tarde. Se puder, e quiser, não pule fases pois elas podem te fazer muita falta. Namore, beije na boca – beijar é muito bom -, faça amor, trabalhe, amadureça, viva.

    No mais, se precisar, algum dia, de algum conselho que não queira pedir aos seus melhores amigos – papai e mamãe -, pode escrever pra mim, pois se o Google não falir até lá – como disse papai -, estarei a postos para ouvi-la e ajudá-la no mardozz28@gmail.com.

    Um grande beijo da titia meu amor ;)

    ResponderExcluir

"Be cool" quando for escrever seu comentário. Seja construtivo!