sábado, 6 de outubro de 2012

Reforma de uma casinha de cachorro - Casinha da Nina

Quando iniciei esta postagem, percebi que era necessário, antes de mais nada, postar sobre a origem da casinha e sua construção.

Construindo casinha de cachorro

Iniciei a reforma, tirei algumas fotos, mas na hora de lixar e pintar... abandonei.

A primeira lixada da tinta anterior, percebi o tamanho da sujeira que ia fazer aqui em casa. Então a Nina, ainda que não tão bonita, ficou com uma casinha resistente como nova e com algumas inovações.

Primeira coisa é definir o que se quer fazer com a reforma. Parece simples, mas não é. É como um novo projeto que se arquiteta na mente para então se colocar em prática. Vejo essa fase como um exercício mental.

Apenas após serem verificados os problemas e quais soluções que vamos adotar, podemos escolher ou imaginar que materiais vamos precisar.

Parafusos... de monte. Minha ideia era aplicar o peso da casinha em parafusos. Do tipo "quero ver essa #$%@ se mexer de novo"



Vai mexer com madeira mas não tem serrote? Serras para ferro/aço servem. Até prefiro para cortar peças pequenas de madeira. Jogo de brocas e pontas de chave (já explico)

Nossa querida furadeira...

Que também serviu de parafusadeira. Não, ela não foi fabricada com esse propósito e parafusa a 2.500 rpm mesmo. Ideal para o tanto que eu iria parafusar.

Outras ferramentas como, alicate, grampeador e o pai de todas as ferramentas: O Martelo, foram utilizados

* Sobre o martelo, aprendi com meu pai que é a verdadeira ferramenta universal. Conserta de relógio suíço a liquidificador (essa minha mão se lembra). Como consertar peças frágeis com martelo? Fácil, vai batendo devagarinho, se não funcionar, bate o mais forte que puder, joga no lixo e compra outro.
Obs: Marretas podem substituir o martelo para serviços mais pesados :)


Nessa minha reforma, tinha os seguintes tópicos em mente:

1) Reforçar a estrutura - A casinha estava "bamba" e com os pés e algumas junções podres devido ao contato com água.
Solução: A casinha havia sido construída apenas com pregos e decidi usar parafusos para solucionar o problema da estrutura.
Com relação aos pés podres, foram todos removidos.



Coloquei parafusos em todas as tábuas e junções. Foram quase 2 kg de parafuso. :) Tá firme pacas


Alguns problemas surgem durante o processo da reforma. Solução: Dobra a quantidade de parafusos hehe

Encontrei algumas fotos perdidas pelo computador da época da reforma da casinha.

Vale a pena ver.










2) Mobilidade - A casinha era ruim de movimentar de um lado ao outro principalmente quando precisava lavar o chão.
Solução: Utilização de rodinhas omnidirecionais (iguais de carrinho de supermercado). Isso solucionou dois problemas. O podre dos pés devido ao contato com água do piso e o problema da mobilidade. Utilizei seis rodinhas ao custo de R$ 3,00 cada aproximadamente.

No detalhe, a rodinha giratória.


Vista por baixo da casinha. Madeira bastante danificada. Pés de madeira já removidos e rodinhas já instaladas.


3) Impermeabilização do teto - O apartamento onde me mudei, tem uma área que não é coberta e o telhado já apresentava danos com a exposição do tempo.
Solução: Revestimento com lona plástica. (Aqui vale ressaltar que por causa do valor elevado, acabei comprando uma bem baratinha e fina. Resultado: A lona durou uns 2 meses apenas intacta. O barato sai caro)

O grampeador e a lona (safada) plástica



O acabamento final tinha ficado muito bom. Por um breve momento achei que não haveria problemas.



4) Melhorar a forração interna - A casinha, depois de um tempo construída, recebeu uma forração com um tipo de carpete bem simples mas que resolvia o problema do frio do sul do Paraná. Mas esse revestimento não era removível e também em pouco tempo, começou a degradar e reter muita sujeira, devido aos ossos e comida que a Dona Nina levava pra dentro.
Solução: Utilização de um carpete que é utilizado para áreas externas ou cozinha, de fácil limpeza, facilmente removível e com uma consistência que não permitisse se deslocar dentro da casinha.

Confesso que deu dó de cortar o tapete novo. Acabei deixando o novo na cozinha e o que estava na nossa cozinha, é o que vocês vêem nas fotos abaixo.


Como a casinha é dividida em dois cômodos, houve a necessidade do corte do tapete.

O tapete e sua textura de perto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Be cool" quando for escrever seu comentário. Seja construtivo!