terça-feira, 25 de setembro de 2012

2a Trilha em Minas Gerais - Topo do Mundo

Depois de mais outro longo tempo de dieta sem escrever postagens, retorno com um assunto que também fiquei por um longo período sem praticar: Trilhas

A última andada, foi no final do ano com a saudosa galera de Tibagi, em dezembro de 2011.

Na semana passada, dia 16 de setembro, retirei as teias de aranha (literalmente) das botas, ajeitei as roupas e protetores e segui com um amigo e vizinho de apartamento, que apenas 9 meses depois, fui saber que também andava de moto. (sou altamente sociável #not)

Como não tinhas grandes pretensões quando ao meu desempenho depois de tanto tempo parado, acabei levando a câmera no bolso. Isto dificulta um pouco as coisas na hora de registrar tudo o que acontece numa trilha. Só em momentos onde todos param pra descansar ou passar por algum lugar difícil, é que dá pra fazer um contorcionismo, abrir o ziper do bolso da mochila e pegar a câmera.

O resultado é uma filmagem mais pobre mas que já dá pra ter um gostinho da coisa:




Fiquei impressionado com o lugar e o visual. Montanha que não acaba mais, ou seja, paraíso pros motoqueiros.

A vontade de compartilhar com os amigos de Tibagi o novo local veio na hora. Com isto em mente, uma coisa era certa. Próxima trilha seria toda registrada.

Já neste final de semana, domingo 23 de setembro pra ser mais exato, fui equipado com meu capacete com o suporte especial para a câmera (lê-se gambiarra de plástico recortado). O resultado foram quase 7 Gb de vídeos que aos poucos fui editando e publicando no Youtube, até chegar neste post.

Outra novidade foi um programa que conheci na net. Um amigo trilheiro me mostrou em seu iPhone o All Trails. Procurei pro Android e ele não está disponível pro Brasil :/

Acabei achando um da própria Google. O Minhas Trilhas. Bem sugestivo, por sinal.

Estas são as 3 páginas que aparecem no celular:

1) O mapa com o trajeto. Não há necessidade de se estar com a rede de dados ativa. Apenas o GPS, o que permite salvar bem a bateria. Esta trilha durou 6 horas e a bateria consumiu 30%.


2) O gráfico com a elevação e velocidade por distância percorrida. Pode-se configurar para tempo decorrido também.


3) Esta última janela são de dados numéricos.




Ele solta um relatório bem completo, quando compartilhado por email, por exemplo. Este abaixo foi desta trilha:

O link do trajeto:
Criada por Minhas trilhas no Android.
Nome: 23/09/2012 9h04
Tipo de atividade: -
Descrição: -
Distância total: 90,54 km (56,3 milhas)
Tempo total: 6:01:42
Tempo de deslocamento: 2:40:55
Velocidade média: 15,02 km/h (9,3 milhas/h)
Velocidade média de deslocamento: 33,76 km/h (21,0 milhas/h)
Velocidade máx.: 122,74 km/h (76,3 milhas/h)
Ritmo médio: 3,99 min/km (6,4 min/milhas)
Ritmo médio de deslocamento: 1,78 min/km (2,9 min/milhas)
Ritmo mais rápido: 0,49 min/km (0,8 min/milhas)
Elevação máx.: 1556 m (5104 pés)
Elevação mín.: 795 m (2608 pés)
Ganho de elevação: 2483 m (8146 pés)
Grau máx.: 28 %
Grau mín.: -32 %
Registro: 23/09/2012 9h04

O grande destaque desta trilha fica por conta das altitudes. Pelos vídeos dá para se ter uma ideia do porque do nome do local ser Topo do Mundo.

Durante o trajeto, passamos por dentro da mineração da Vallourec & Mannesmann do Brasil (sopinha de letras mesmo). Lugar impressionante, ainda mais se gostar de obras. O volume já movimentado por eles é gigantesco.

Britador




Balança


Aqui é foi a minha primeira visão do tal Topo do Mundo. O GPS marcando mais de 1.550 m de altitude. Impressiona.


Logo ali em baixo, nestas torres é o restaurante Topo do Mundo. Foi muito bem recomendado. Assim que provar da comida, faço outra postagem.



Galera vai lá para saltar de Para Pente, Para Glider e todos os tipos de "Para-algo". O interessante é que, por se tratar de um espigão, salta-se para ambos os lados.

Vizinho que me apresentou a galera e as trilhas daqui. Valeu Maurício.


Esse é o Jarbas com seu capacete de trilha. Gente boa mas meio mão de alface igual uns amigos de Tibagi hehehehe


Botecos, ah os botecos de Minas Gerais. Não tem uma esquina que não encontramos um. Boa comida e gente acolhedora. Se bem que eu quase não como nesses lugares.... :)


Resolvi deixar o máximo de filmagem possível para que outros trilheiros tenham uma noção de como é por aqui. Isso tem o outro lado que pode deixar o vídeo meio extenso, mas vale a pena ver.







Esse início da 4a parte, mostra o carinho dos mineiros... (carinho em excesso talvez do Adele* aí)



* Explicação no início do segundo vídeo


Um comentário:

  1. Gilberto Caldeirajulho 21, 2013 6:04 PM

    muito foda!!! Moro perto desse lugar!!Na verdade, o bom de se morar em BH é que tem inúmeras trilhas ao redor da cidade!! Estou pensando seriamente em comprar uma DT 180 pra mim e me aventurar por elas!!

    ResponderExcluir

"Be cool" quando for escrever seu comentário. Seja construtivo!