sábado, 17 de março de 2012

Trocar Ventoinha (cooler) de uma Fonte de Computador

Aqui é mais uma postagem sobre manutenções diversas.

Depois de vassouras e lcd de câmera, agora vamos mostrar uma forma não tão ortodoxa para substituição de uma ventoinha da fonte do computador de casa que após alguns anos de uso intensivo e uma dose massiva de pó acumulada, resolveu travar.

Já tinha realizado algumas manutenções paliativas, limpando e utilizando grafite na primeira vez, que garantiu mais uma semana de uso. Uma segunda vez fiz a utilização de uma graxa que tenho há alguns anos, o que garantiu pelo menos um mês de uso.

Agora a solução definitiva: Trocar por uma ventoinha nova.

Após correr bravamente pelas lojas de informática aqui do barreiro (sem sucesso), acabei por encontrar em um shopping maior e na última loja (Murphy seu malandro).


Não, não é algo que deveria ser complicado de achar. Na verdade, é uma ventoinha bem comum. Mas não sei porque aqui é difícil de encontrar... mas, vamos à troca.

O primeiro passo onde encontrei certa dificuldade, foi a remoção da fonte do gabinete. Os bons senhores que montaram, fizeram o favor (por um lado uma escolha correta) de utilizar arrebites para fechar o quadro do gabinete. Acontece que sem abrir a lateral esquerda, na figura abaixo, o único modo de remover a fonte, é retirando a placa mãe. Completamente fora de cogitação.

Ventoinha danificada e fonte extremamente suja

O que fiz então, foi lançar mão de um recurso técnico e de altíssimo nível de inteligência que tentarei explicar a seguir:

Entortei a borda do gabinete.

Pois é, essa técnica medieval foi necessária.

Fiquei muito satisfeito em saber que comprei uma ventoinha da mesma marca e (quase) do mesmo modelo que a antiga.


A diferença é que a antiga era de apenas 2 fios, enquanto a nova de 3 fios. Esse terceiro fio serve para definir a rotação da ventoinha, quando é o caso.

Acontece que isto significou ter conectores diferentes. Mais uma adaptação técnica se fez necessária.

Cortei os dois conectores e fiz uma linda emenda 3 em 2.



Mas como saber que fio vai com quem? Bom, eu também não sabia. Olhei por baixo do adesivo das ventoinhas de onde saiam os fios e vi que, mesmo na de 2 fios, há 3 conectores, sendo um inativo.

O vermelho coincide com o vermelho da outra. Mas a posição do preto na de 2 fios, é a mesma posição do azul na de 3 fios. Fiz um teste ligando apenas o vermelho e o azul, portanto.

Acontece que a ventoinha funcionou mas não parecia muito "animada". Mas como havia funcionado, assumi que o azul era negativo mesmo. Fiz um segundo teste unindo o preto com o azul e "voilà". Ventoinha funcionando a todo vapor.


Teste final com fios já isolados

A montagem foi relativamente tranquilo, já que o mais difícil é ir desmontando e aprendendo o que fazer. 



Observe que a utilização de ferramentas adequadas é importantíssimo. No meu caso, essa chave philips king size combina bem com o processo medieval de entorta, amassa e faz força.


Com jeitinho vai...



Depois de colocado no lugar, tive que criar outra técnica para manter os furos dos parafusos alinhados.
Essa técnica se deu utilizando-se o material mais versátil que já conheci depois do arame, claro. O tie up ou cinta plástica


Conjunto todo parafusado novamente.



Fonte com a ventoinha nova no lugar e bordo ainda "alterado".



E aqui, a arte final, após a aplicação de pequenas cargas em pontos específicos da estrutura. Ou seja, desamassei de "zóio".


Mas não ficou ruim, ninguém vai saber que eu fiz isso (só se chegar até aqui no texto).



Pra arrematar e não deixar arestas, o teste derradeiro com tudo montado.



Se ficou funcionando? Acho que sim. Estou fazendo essa postagem a partir dele... ;)




2 comentários:

  1. não deveria ter ligado apenas o vermelho e o preto para formecer os 12v e deixar o azul de fora ???

    ResponderExcluir

"Be cool" quando for escrever seu comentário. Seja construtivo!