sábado, 5 de novembro de 2011

Viagem Canadá/EUA Nordeste - 2006 - 2a parte: Toronto

Dando continuidade à nossa viagem, seguimos para Toronto, onde ficaríamos por 1 mês fazendo curso de inglês. Vamos confessar publicamente agora. O curso de inglês era apenas o pretexto para viajarmos para a América do Norte e ficarmos um tempo por lá.



Outra confissão é que nosso foco principal era os EUA. Havíamos comprado livros e feito planos para viajarmos por 15 dias após este mês de curso em Toronto. O Canadá era apenas uma "passagem" sem nada de atrativos além do custo do curso ser menor. Até então...



Chegamos bem cedo em Toronto e meu primeiro teste real do meu pobre inglês não foi tentar falar "orange juice" pra garçonete de Miami e sim falar com o oficial da imigração.
Haviam dois oficiais. Um que perguntava apenas o motivo da viagem. E outro que perguntava sobre preferência política, ciências naturais e teoria da relatividade. Qual eu peguei? Pois é..
- Motivo da viagem?
- Estudar inglês.
- Por quê no Canadá?
- ????? What the Fuck!!! - óbvio que não foi essa minha resposta, mas deu vontade
Como eu ia dizer pro cara mega patriota canadense que eu tinha escolhido lá porque era mais barato?
- Escolhi aqui porque o país é muito bonito e eu queria conhecer (fui bem né?)
Ganhei uma carimbada com láurea!

 Depois da imigração, um leve susto quando o Emerson foi gentilmente encaminhado para uma verificação mais detalhada (espero que não o tenham violado). Ficamos perdidos um do outro por um tempo. Confesso que fiquei por uns minutos do tipo "fodeu".

A primeira coisa (sábia) que fizemos depois destes enroscos, foi sacar dinheiro canadense. Dólar canadense pra ser mais exato.


Com isso fomos direto ao ponto de táxi na saída do aeroporto (Toronto Pearson International Airport) e pegamos o primeiro Lincon da fila.
Confortáveis, animados e sorridentes, pedimos em claro e perfeito inglês que o motorista nos levasse ao 80 Tarragona Boulevard. Acontece que nesta época não era tão popular assim o tal GPS. Após algumas repetições do endereço (nosso inglês não era assim tão fluente), o motorista saca do porta-luvas uma verdadeira bíblia em forma de mapa da cidade.

Ficamos por 15 min ali na frente até o pobre rapaz encontrar a tal rua. Já ficamos preocupados com o valor quando descobrimos a distância.

Fomos entregues no endereço correto e com 100 dólares a menos nos bolsos.

Me recordo claramente o momento em que nos separamos no meio da rua. Ficaríamos em casas de famílias mas separados um do outro para evitar os papos em português. Pra mim foi fácil evitar qualquer língua que não fosse o inglês. O único outro intercambista que estava na casa era do Japão.

Apesar de todas as dúvidas e medos que me passaram na cabeça no momento, fui muito bem recebido pela dona da casa e sua família. Era uma filipina casada com um francês. (sério, vocês acham mesmo que eu tinha alguma chance de falar outra língua?)

Me passaram as regras de como as coisas iriam funcionar e tudo o mais. Fui levado para um tour pela casa apenas nos aposentos os quais eu iria ter acesso. Descobri que os intercambistas naquela casa tinham uma mesa na cozinha para suas refeições em separado do restante da família e que todo o basement havia sido preparado para estas "visitas". Quartos, banheiro e lavanderia além de um aparelho telefônico.

Após tomar banho e conhecer meu quarto (bem pequeno por sinal), fui convidado a jantar na mesa da sala com a família. Comemos macarrão e tomamos vinho Grego. Fiquei extremamente lisonjeado, mas isso me custo algumas fichas de inglês que não estava muito preparado ainda. Mas foi bom. Acho que no final deu tudo certo, afinal continuaram a me cumprimentar e sorrir para mim nos dias posteriores.

Meu quarto era pequeno mas organizado e bem aproveitado. A única coisa que poderia deprimir depois de um tempo, é morar no porão. Mas a excitação era tão grande que isso passava desapercebido.

Cartão telefônico para ligar pro Brasil. Com esses U$ 10 eu falava 200 min (!) Se ligar daqui do Brasil, não fala 4 min :/
Somos mais ricos mesmo. Pelo menos pagamos mais pelas mesmas coisas né...

Minha cama.

Minha maravilhosa vista do quarto #not
Bom, pelo menos tiveram o carinho de colocar uma plantinha ali.



As paredes todas em madeira foi a coisa que mais me chamava a atenção nas casas. O conforto térmico é fantástico.

Closet

O restante da casa era bem organizada, apesar da quantidade de coisas que eles têm.
 Na parede, o quadro com a foto da família da casa.

O condo (condomínio de casas semelhantes mas não em terreno fechado) agrada muito. Limpo, lindo, perfeito. Nos mínimos detalhes.

Eu mencionei que chegamos por lá pouco depois do Halloween?


Rede de gás e energia elétrica (eu acho)

Ponto de ônibus na forma de cabine. Lá é um item extremamente necessário. Nem tinha neve ainda mas o frio é de rachar enquanto espera o bus. Mas nessas cabines era razoavelmente tranquilo.

Detalhe para a tubulação da calha e a placa de concreto em baixo para não fazer buraco no chão.

Teias de aranha.

Frente do condo com uma loja de peças e acessórios de carros à direita.

Vizinhança...



Esse New York Pork (até hoje não sei se era um frigorífico ou um entreposto de carnes) alguns dias depois pegou fogo.

Sistema de transporte público. Detalhe, o ônibus parece velho, mas era aquecido tá!


Curtindo a cabine enquanto esperamos o busão.

Nas próximas postagens, vou mostrar o porque de Toronto ter mudado nosso pré conceito sobre o Canadá não ter nada de interessante.

Como estávamos enganados...

4 comentários:

  1. Muito bom relembrar aqueles ótimos momentos... Parabéns pela postagem! E, definitivamente, NAO, NÃO fui violado... Hahaha

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom? Parabéns pelo post!
    Eu estou indo para Toronto agora em junho, e vi que você ficou na mesma rua que eu ficarei, Tarragona Boulevard! Será que poderia tirar algumas dúvidas minhas?
    O que você achou da localização? Porque assim que recebi minha homestay fiquei receosa, parece um pouco longe das coisas, não? e em relação à segurança? é tranquilo? dá para voltar tarde de uma festa, por exemplo? seu amigo também ficou lá qual foi o numero da casa dele? Desde já obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, primeiro fico satisfeito por ter gostado do post.
      Quanto a localização do Tarragona Boulevard, não poderia ser melhor. Sim, ela é afastada a princípio, mas como menciono no post, o sistema de transporte é fantástico e não vimos dificuldades para chegar a qualquer ponto da cidade. Íamos todos os dias para a aula e voltávamos sem problema.
      A região é muito segura, portanto, voltar de madrugada é tranquilo tbm. Voce vai numa época que não conhecemos lá. No verão. Voltamos algumas vezes de madrugada pra casa. A única coisa que deve ter em mente é que algumas linhas de ônibus param depois da 1 da manhã (se não me engano).
      Posso ver com ele se ele tem ainda o número da casa em que ele ficou. Te retorno aqui. Mas pra adiantar, a dona da casa onde ele ficou era irmã da dona da casa que eu fiquei. São filipinas. Da minha casa era casada e da casa dele solteira/separada/sei lá hehehe
      Abraços e ótima viagem pra vc. Espero que goste tanto quanto nós gostamos de lá!

      Excluir
    2. Obrigada, Sérgio! sendo assim fico mais tranquila! É sempre bom ouvir depoimentos de quem já foi! quanto à casa que seu amigo ficou, não pode ser a mesma que ficarei não, na minha é um casal e duas filhas... fiquei preocupada porque eles não responderam meu e-mail ainda, já faz uma semana.. mas enfim, pelo menos a localização é boa!

      Excluir

"Be cool" quando for escrever seu comentário. Seja construtivo!